quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Multitalento à prova de fogo

Hoje pensei em como é importante olharmos para os talentos diversos que desenvolvemos no dia a dia, para além das necessidades de trabalho e dos hobbies.
Por exemplo, sou boa enfermeira, de gente e de bicho. Sou boa incentivadora, não critico os sonhos de ninguém (a menos que sejam bizarros e firam outras pessoas). E, ainda por cima, sou ótima em apagar incêndios, metafóricos e literais.
Apagamos um fogaréu hoje, o terceiro ou quarto por aqui. Eu até costumo ser tranquila, mas foi desesperador ouvir o marido gritando sufocado pela fumaça e pelo calor, do outro lado do barracão, enquanto eu tentava fazer 3 ou 4 coisas que ele me pedia - pega um lenço, tira as coisas do barracão, traz água, a água não tá chegando! Tudo ao mesmo tempo, e nós sem mangueira suficiente, sem saber onde meu sogro - que não estava em casa - guarda seus equipamentos, sem baldes suficientes (porque todo balde que compro vira balde de alguma obra de pedreiro), sem vizinho para nos acudir, bombeiro, então, nem se fala. Um horror maior do que das outras vezes, as lufadas de fumaça e ar quente na cara, correndo com bacias (que peguei na casa da sogra - estas, pelo menos, eu sabia onde estavam) que entornavam a água.
Ainda ficamos fazendo o rescaldo, eu com um baldinho, Guga com a mangueira, por um bom tempo. A mangueira pretejou, derreteu em alguns pontos, tamanho o calor. Foi uma prova de fogo, literalmente. Com o susto, agora é se preparar de verdade para o que sabemos que acontece todo verão - porque, apesar do meu talento comprovado para apagar incêndios, prefiro ficar com os metafóricos.

terça-feira, 21 de novembro de 2017

Testes e mais testes + nuvem cinza

Volta e meia ando testando receitas, especialmente de pães. Já me pediram para fazer focaccia, pão pita e pão de queijo. Hoje resolvi testar uma de pita (mas usei o mix de farinha integral e a massa quase não cresceu, vamos ver o que acontece no forno). Também inventei de adicionar chocolate em pó 70% ao pão de levain, além de um punhado de passas - neste caso, a massa ficou molenga, antes mesmo de colocar as passas, talvez pelo uso só do mix de farinha integral em vez de adicionar também farinha branca. A ver.
E tenho andado inquieta, não só por atestar a dificuldade de empreender algo novo, mas também por sentir falta de algum estímulo intelectual de fato, para além do trabalho (que às vezes é pouco estimulante). Até ler literatura tem sido menos prazeroso (que o diga o livro do Orhan Pamuk). Daí a nuvenzinha cinza sobre os experimentos...

Atualização: O pão pita não cresceu nem dourou. O gosto é bom, mas ficou meio piadina. Continuo apostando na falta de farinha branca para explicar o não crescimento.
O outro pão cresceu e ficou bonitão - embora tenha usado só o mix integral, teve ajuda do levain. Ficou crocante por fora e macio por dentro, como deve ser. As passas deram doçura ao azedinho do levain e ao amargo do chocolate.

Mais e-commerce: Mercado Livre e lojas

Já disse aqui que não curtia muito o Mercado Livre. Isso faz uns 4 anos. Desconfiava da eficácia, achava que podia levar algum calote, mas não. Hoje compro muita coisa por lá: de cloreto de potássio a roupas para ciclismo, passando por artigos de confeitaria e remédio para pets. Quase nunca tenho problemas com entrega: o único caso digno de nota foi o da compra do meu Polar, que demorou muito, antes mesmo que os Correios entrassem em greve (quando, então, demorou mais ainda para chegar).
Houve, inclusive, um episódio de eu querer devolver uma mercadoria por arrependimento (outro frequencímetro, que, no final das contas, não servia para mim), e o Mercado Livre ter se responsabilizado totalmente pela troca e devolução do dinheiro. Agora, ainda por cima, de tanto ter feito compras por ali, tenho frete grátis em quase tudo. Perfeito.
Também aconteceu de eu precisar trocar um produto comprado de um parceiro das Americanas, que agora é a gigante Marketplace. Sem problemas também - produto devolvido às suas expensas, dinheiro estornado no cartão de crédito.
Para o feitio do meu bullet journal, como já contei aqui, comprei o miolo no site já experimentado em SP da Finisterre Urupês, impecável, da embalagem à entrega e à qualidade do produto.
Como agora estamos mais longe de tudo, e houve mudanças nos itinerários dos ônibus para Salvador, pensei muito se iria me aventurar para comprar produtos de confeitaria, correndo o risco de não achar em um único lugar, e acabei optando por buscá-los no site de uma loja de São Paulo que já tinha visto várias vezes, a Loja Santo Antonio. Em cinco dias, a entrega já havia sido feita, e o gasto com Sedex certamente foi menor do que o que faria tomando ônibus, metrô e táxi em Salvador. Depois descobri que precisava de mais umas coisinhas, e já fiz outra compra. Muito bom.
De fato, as empresas estão se aperfeiçoando nesse tipo de comércio. Pelo menos, algo tem andado para a frente em nosso desolado país.

Atualização: Vamos aprender a embalar mercadorias com a Loja Santo Antonio?

sábado, 18 de novembro de 2017

O simples delicioso

O tempo entre panos ou Desconstruindo Hokusai

Ontem fiz uma garimpagem nos retalhos guardados por minha sogra, que tem um verdadeiro acervo para quiltagem, impressionantemente organizado, diverso e lindo. Estava atrás de uma chita para fazer uma ilustra de abertura para o bullet journal. Acabei misturando tecido, papel de origami - já minhas marcas pessoais - e feltro. Outra marca pessoal é a desconstrução de Hokusai.
O único perigo das colagens nesse tipo de uso é a agenda ficar muito gorda.

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Organização interna, minha e do bullet journal


Depois de dar uma geral no site de Bullet Journal do seu criador, Ryder Carroll, comecei a desenhar o meu. Ainda bem simples, mas, como uma ideia puxa outra, hoje já adicionei uma cinta (que depois me lembrou da faixa de judô) e um envelope para guardá-la. 
As seções, por ora, se referem ao panorama de cada mês, a filmes e livros a conhecer e a um cantinho de gratidão, além de um rez-de-chaussée em cada semana para comentários gerais. Talvez role uma seção O quereres, a ver. 
Também começam as brincadeiras com colagem e ilustração, como o troféu no dia da prova de bike que Guga e Wendel venceram. 

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Distração acertada e dois pães

Ontem resolvi fazer pão integral, receita do curso na Levain. Me distraí quanto à quantidade de manteiga e coloquei demais. Acrescentei um pouco mais de manteiga enquanto boleava, mas fiz outra receita, agora correta, porque queria testar para pedidos futuros.
Assei os dois, e o "equivocado" ficou, como era de se esperar, mais claro, mais macio, menos resistente ao corte que o outro. O segundo ficou ótimo, bem versátil, para acompanhar qualquer cobertura ou recheio.

Cabeceira

  • "Arte moderna", de Giulio Carlo Argan
  • "Geografia da fome", de Josué de Castro
  • "A metamorfose", de Franz Kafka
  • "Cem anos de solidão", de Gabriel García Márquez
  • "Orfeu extático na metrópole", de Nicolau Sevcenko
  • "Fica comigo esta noite", de Inês Pedrosa
  • "Felicidade clandestina", de Clarice Lispector
  • "O estrangeiro", de Albert Camus
  • "Campo geral", de João Guimarães Rosa
  • "Por quem os sinos dobram", de Ernest Hemingway
  • "Sagarana", de João Guimarães Rosa
  • "A paixão segundo G.H.", de Clarice Lispector
  • "A outra volta do parafuso", de Henry James
  • "O processo", de Franz Kafka
  • "Esperando Godot", de Samuel Beckett
  • "A sagração da primavera", de Alejo Carpentier
  • "Amphytrion", de Ignácio Padilla

Arquivo do blog